lisboa… entre margens

 

2016-11-21 10.35.00

 

Inaugurada há precisamente 54 anos (1966), a sua elegância une margens e suspende sobre o rio uma belíssima obra de engenharia. Como via estruturante, a Ponte 25 de Abril é um elo de ligação e um detalhe fundamental da capital.

Diariamente, a partir da margem norte do Tejo, o meu olhar percorre-a sem se cansar…..leva-me ao cimo dos seus pilares….mergulha vertiginosamente no rio….conhece as suas dinâmicas ao longo do dia….e aprecia o seu magnífico recorte no perfil maior da cidade.

Na Lisboa de hoje, este meu olhar e o olhar de tantos outros, agradecem a sua presença, beleza e função!

 

 

 

 

18 thoughts on “lisboa… entre margens

    1. As pontes, como lugares de passagem e transição, têm sempre um significado especial associado. Quando a isso se junta a beleza ainda melhor!
      Obrigada Fernando e sendo hoje sexta-feira, desejo um tranquilo fim-de-semana!

      Like

  1. Que ponte linda…que rio! Eu gosto de filmar a ponte da cidade onde cresci e ela passar por cima de um braço de rio e mar… eu ate costumo chamar esse caminho de lá de minha pequena Lisboa, pois tem ainda muitis predios desse período lá… tenho muita vontade de conhecer Portugal… adorei o texto e a foto

    Liked by 2 people

    1. Muito obrigada pelas palavras e por essa pequena associação com a cidade de Lisboa. Sem dúvida que terá que vir conhecer a verdadeira Lisboa. E estou certa que ficaria encantada.
      Entretanto, desejo um bom fim-de-semana!

      Liked by 1 person

  2. É sem dúvida um marco da cidade, por tudo o que representa e que menciona no texto. Apenas do ponto de vista da paisagem, não aprecio as cidades que, tendo rios mais estreitos, têm muitas pontes consecutivamente. Para mim, Lisboa ganha nesse aspecto. Duas pontes elegantes e um mar enorme a banhar a cidade!

    Liked by 2 people

    1. Concordo totalmente Miguel.
      Não só o Tejo tem largura suficiente para qualquer ponte “respirar” e “ficar perto do céu”., como todas as pontes existentes na região de Lisboa só por si são realmente estruturas de uma enorme elegância e leveza.
      Tudo junto, é uma delícia para o olhar. Pelo menos para o meu……que não a tenho que atravessar todos os dias e estar em filas.
      Prefiro ver o lado “belo” da questão…
      Obrigada e um bom fim-de-semana!

      Liked by 1 person

  3. Gosto muito dessa paisagem, das ponte que se perdem de vista. Mas também aprecio as “minhas” ponte pequenas, banhadas de charme, unindo o estreito rio, tantas vezes camufladas entre o nevoeiro que lhes conferem um misticismo natural, onde os amantes mesmo em margens opostas podem trocar olhares e o abraço fica à distância de um esticar de braço.
    São estas pontes, as grandes e as pequenas, que nos unem e aproximam. Bom final de semana.

    Liked by 1 person

    1. Todas as pontes terão a sua beleza, sem dúvida!
      Eu diria que as grandes pontes de Lisboa alimentam a estética e o olhar; e que as pequenas pontes do norte (e do Nelson!), alimentam o coração e o aconchego. Gosto da ideia!
      Complementam-se, assim como o norte complementa o sul!
      Adorei a poesia da sua descrição Nelson, e estou rendida às pontes do norte! 👌😊
      Obrigada e um excelente fim-de-semana!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s