dois dias, um sentir

 

jan 81 - mais leve

 

Sem qualquer objectivo em vista, gosto de passar o olhar pelas datas comemorativas do Calendarr para saber os eventos passados ou futuros.

Hoje, curiosamente, ele revelou-me que ontem foi o Dia de brincar na areia e que hoje, 12 de Agosto, é o Dia do filho do meio. Deliciam-me estes títulos, seja pela factor surpresa seja por chamarem a atenção para aspectos pouco comuns e aparentemente banais. Porém, talvez não seja exactamente assim…

Por um lado a areia…

…qual de nós não se envolveu ou envolve ainda com algum prazer na textura dos infinitos grãos de um areal e aí imagina/cria estranhos mundos ou efémeras construções? Brincar com a areia faz parte do nosso imaginário e do rol de sensações que se guardam nos recantos da memória e da pele. Creio que o nosso lado-criança sempre brinca na areia ao longo da vida, mesmo quando já não o faz ou nem tem areia por perto…

Por outro, aquela sensação de abandono por falta de atenção…

…quantos de nós, tendo ou não irmãos, já não nos sentimos o “filho do meio? E a sensação de ser invisível, indiferente ou quase ignorado em determinadas ocasiões pelo facto de outros, por estatuto, posição ou personalidade conseguirem captar facilmente a atenção e o olhar dos demais…

 

Ambos as datas me levam por aí…

…a sensações guardadas… a solidões sentidas….a detalhes vividos…à infância e aos areais dessa infância….aos castelos de areia…à idade adulta…a uma certa ingenuidade…talvez a tudo isso em conjunto….

Não sei.

Apenas senti que é importante relembrar.

 

 

(Desenho a lápis sobre papel, Janeiro 1981)

 

 

 

 

 

15 thoughts on “dois dias, um sentir

  1. Lindo Dulce. Sim, mexer na areia é uma sensação magnifica, andar descalça sobre ela, melhor ainda (é relaxante).
    Uma pequena curiosidade, o belíssimo desenho que acompanha o post, é feito a que material? Carvão?
    Um beijinho grande.

    Liked by 1 person

    1. Pois, eu também adoro, principalmente a primeira vez que, depois do inverno, vou à praia e me descalço. É uma magnífica sensação.
      Quanto ao desenho e apesar de já terem passado 39 anos… sei que foi a lápis, um bastante macio e depois esbatia com o dedo. Mas o desenho foi por decalque, ficando vincado no papel. Daí o bordo branco em redor. E depois abria as zonas de alta luz com um bocadinho de borracha cortada e angulosa.
      Tenho algumas coisas a carvão dessa época, mas nunca apreciei a técnica, pois gostava de detalhes e um pau de carvão é bom para registos mais espontâneos, amplos e pouco detalhados.
      Obrigada Irina! Bj

      Liked by 1 person

  2. Mais outro post que me traz muito da distante infância, e me junto vem um sentimento feliz por ter vivido aquele tempo. A areia…tanta falta faz hoje, onde a imaginação voava e se transformava em tantas coisas. Hoje, as praias do aqui do Sul têm muito pouco da areia de ontem. E sou o filho do meio. E possuía uma ligação imensa com minha mãe: nasci no mesmo dia e mês. Teu post me trouxe muita saudade, e a alegria de um tempo que permanece intacto em meu coração. Muito obrigado, Dulce. O meu abraço.

    Liked by 1 person

    1. As areias vão e vêm, aí como aqui.
      Mas serão sempre um prazer táctil e imaginativo na nossa vida.
      E ainda bem que o Fernando foi um “filho do meio” bem feliz. Esta é sem dúvida uma matéria subjectiva e muito abrangente.
      Obrigada e ainda bem que apreciou o post!

      Like

  3. Minha amiga
    É mesmo o dia do filho do meio. Dia do Vasco que fica entre o 31 de Maio e o 1 de Setembro.
    Muitos beijinhos e vivam os três filhos
    Lília

    Liked by 1 person

    1. Honestly speaking, I didn’t quite understand your comment. Nor the reason why you would send me a poem. To give an opinion? Is it?
      I have some difficulty with poetry in English, because I use the google translator a lot and he is really bad at translating poetry!

      If you want to publish poetry, you have your interesting blog and do it there, in your “garden and where you feel good”. Take a shot. As I do on my blog, sometimes better and sometimes worse. But it’s me with my feelings.

      Anyway, if you want an opinion, you can send it and I will do my best to understand.
      But I’m not the best person to ask for an opinion!
      I wish you a happy day!

      Like

  4. Muito bom! Gosto como as poesia busca sua inspiração. Veja, a partir de algo do cotidiano, que à primeira vista nos causa indiferença (pois tem dia para tudo nos calendário … rsrs), uma inspiração poética, que invade nossas memórias. Tão lindo esse mexer na areia e nos pensamentos. Abraço

    Liked by 1 person

  5. What an interesting thing, to read about what obscure thing is celebrated each day. The day of playing in the sand – that one is very poetic! I like your idea that people continue laying in the sand, even if they are far from the sea. The day before that, August 11th, I took a walk on a beach with sand, even though we are many miles from the ocean. The salt water comes all the way here to us, with its creatures and endless life. As for the day of the middle child, I am a middle child but my experience of that was mostly positive since I was the only girl. Of course, there have been other situations in which I felt ignored, but not so much that one. So I would celebrate that day. 😉

    Liked by 1 person

    1. These commemorative days are extremely subjective as we all know. But I like to digress and relate ideas and perspectives. This was one of those situations because I found the name given to these days very interesting. And especially because I always loved the texture and feeling caused by the sand!
      Thank you!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s