mensagens

Que mensagem quererá a mãe natureza transmitir nos sinais que vai deixando pela matéria que a constitui e de que ela própria é escultora?

Que linhas e grafismos são estes, pequenos universos indefinidos, desenhados por mão tão hábil em pedras, rochas, cristais, troncos, folhas, nervuras ou flores?

Estarão nestas linhas as respostas ao que interminavelmente procuramos e queremos entender?

Perante esta dúvida imensa, apenas entendo algumas coisas muito simples, porque as vejo, porque as sinto, porque são perfeitas, quase perfeitas…

…como a linha descrita por um ramo de árvore no ar, linha mágica que é o seu caminho, porque foi aquele que a natureza escolheu…como uma pincelada de artista… espontânea… e lentamente escrita no vazio;

…ou os efeitos da paciente erosão sobre certos materiais, como por exemplo sobre as pedras da imagem acima, onde deixou visíveis estas linhas e não outras, estas formas e não outras…transformando cada pedra numa obra de arte;

…ou o maravilhoso processo que leva ao aparecimento de cristais, alguns de forma e perfeição quase incompreensível…

…ou ainda a beleza que encontramos na forma e cor de cada flor, no recorte das folhas, no traço de cada nervura…

 …

Não é importante dar um nome à força/energia que controla estas dinâmicas que nos rodeiam e sensibilizam. Ou que se manifestam em nós próprios, no processo maravilhoso que modelou o nosso corpo, emoções e pensamento.

O que é realmente importante é estarmos alerta para ver, apreciar, “absorver” e equacionar este enorme leque de mensagens disponíveis. Tal atitude apura a sensibilidade, o que de certa forma favorece a capacidade de relativizar aspectos e circunstâncias da nossa vida, muitos certamente não essenciais.

E sobretudo, ajuda-nos a valorizar apenas o que deve ser valorizado.

 

14 thoughts on “mensagens

      1. Creio que são demasiados os estímulos existentes. A todo o nível. E uma grande maioria bem mais dinâmicos, chamativos, atraentes, actuais e efémeros…do que uma pedra ou um tronco…
        Será?

        Like

    1. Por aqui…o divagar, o pensar e o tentar compreender é apenas um detalhe que complementa muitos e muitos olhares e muitos momentos de contemplação.
      Na verdade este tipo de pedra fascina-me e simplesmente me perco nelas.
      Muito obrigada Luisa e desejo um dia a gosto!

      Like

    1. Gosto dessa ideia, apesar de preferir a palavra “sentido” a “função”. Esta última é muito concreta, mecânica, material….
      Mas sim, creio que tudo (ou quase tudo) é uma manifestação de algo maior.
      Obrigada Mariel e espero que a Primavera que se aproxima dessas bandas traga um joelho/patela totalmente recuperado na bagagem!

      Like

  1. The magical line of a tree branch in the air – I love what that concept does to my mind. It’s pure poetry. And I agree, naming or defining isn’t important, being awake to the world and its messages is, being able to receive them. Three simple stones – so much is there! 😉

    Liked by 1 person

    1. I’m glad that Google translator … translated my message well!
      What is really important is to be attentive to the details that surround us and that are the work of mother nature. As you and your attention knows so well!
      From time to time, rationalize a little that “look” is also a good mental exercise. I think.
      Thank you very much and I wish you a peaceful day.

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s