a sós

Há uma solidão que é nossa e genuína, porque vive e sempre viverá connosco. De vez em quando e muito silenciosamente ela pede que nos afastemos dos outros para lhe fazer companhia. E nós vamos, porque esta é uma solidão amiga.

Já a outra, a que entra sem nada pedir, a que cria raízes na rotina dos dias e nas palavras que não foram trocadas, aquela que abre feridas e magoa sem sangrar, é a solidão difícil. E um luto de alma para muitos, sós ou acompanhados .

Esta solidão difícil pode não ser a nossa, a minha ou a tua, mas é a de muitos que se cruzam connosco no caminho dos dias. Quantas vezes ela emana timidamente em olhares, atitudes e gestos, ou em palavras que se mascaram muitas vezes do oposto.

Sim, sabemos que não é um olhar, um gesto ou um sorriso nosso que resolve. Mas pode adoçar e, por momentos, aquecer uma alma.

(Dulce Delgado, Novembro 2020)

29 thoughts on “a sós

      1. Obrigada, Dulce! Para vc também.
        Sim, um confinamento parcial, mas triste na mesma. Cerca de 1300 nos cuidados intensivos, escolas só no dia 16, mas como correram às compras no Sábado passado, então imagino q atingirá outro pico qdo os estudantes retornarem às aulas.
        Tempos bizarros, infelizmente.

        Liked by 1 person

  1. Tão verdade Dulce.
    São várias solidões que nos podem acompanhar pela vida e a nossa, a que serve para encontrarmos respostas e nos encontrar a nós próprios, é saudável. Agora, as solidões não manifestadas, que doem cá dentro, que remoem e não nós fazem sentir acompanhados (por nós próprios), essas são graves. E infelizmente, o mundo caminha muito nesse sentido, cada vez sentirmo-nos mais sós sem nos saber encontrar.
    Gostei muito desta reflexão.

    Liked by 1 person

  2. A sua presença adoçou minha alma muitas vezes Dulce. Serenidade é transmitida mesmo à distância, mesmo quando nunca se viu a pessoa pessoalmente. Essa é uma parte boa que o mundo virtual nos trouxe. Obrigada por ser assim.

    Liked by 1 person

    1. Muito obrigada Cris por tão doces palavras!
      Digamos que a vida sempre me levou a não ter razões para ser o contrário. Dulce sou, porque o meu pai sempre quis ter uma filha com esse nome, e creio que com doçura me fui construindo e olhando a vida. E espero que não seja a terceira e ultima parte desta minha passagem por aqui que me possa levar a sentir /agir de outra forma.

      Liked by 1 person

  3. Verdade! Há solidão que consome e toma conta do estado da alma.
    Acredito que um sorriso preenche o olhar vazio e adoça o coração.
    Muito bem escrito, Dulce.
    Aliás como sempre!
    Desejo a continuação de uma boa semana!

    Liked by 1 person

    1. There is a proverb in portuguese that says “we have a bit of a poet and crazy”, but today, to answer your comment, I will replace the word crazy with “psychologist”. So … that’s why this post was born!
      About the bunny … I love rabbits, I love to collect them… but not to eat them!
      Thank you!

      Liked by 1 person

    1. Tens razão Augusta, todos os meios de partilhar algo são bons para aquecer corações.
      E escutar é sem dúvida um dos mais importantes!
      Muito obrigada por apareceres por aqui. E cuida bem de ti!

      Like

    1. Só agora reparei neste comentário, dai o atraso na resposta. Realmente não conhecia essa diferenciação entre solitude e solidão em português, ou seja entre o ser voluntária ou involuntária.
      Associava essa palavra a solidão, mas em inglês.
      Mas estamos sempre a aprender!
      Obrigada Alda e um excelente fim-de-semana!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s