olhar confinado…

…a partir de um décimo andar e em dias predominantemente cinzentos e com chuva!

Nas duas ultimas semanas, a casa tornou-se o fulcro dos nossos dias devido ao confinamento. Portugal está num momento muito difícil e ficar em casa é fundamental. Fazendo a fotografia parte dos meus dias, tinha que explorar e aproveitar o mais possível as circunstâncias impostas e o tempo disponível.

Quando olho para o tom monocromático e cinzento das imagens acima, sinto alguma tristeza. A verdade é que a minha personalidade nunca se deu muito bem com dias tão pesados e sem cor. Encontro neles alguma beleza, é verdade mas, decididamente, não são a minha onda, nem o meu mar. E quando são demais, pesam na alma…

Esse cinzento bloco de imagens revela um pouco da paisagem que me envolve. Vivo em Carnaxide, no concelho de Oeiras e a localização do prédio permite-me um olhar vasto, sendo as maiores referências o rio Tejo e a margem sul, a Serra de Monsanto e o chamado Farol da Mama de Carnaxide, uma enorme estrutura que mais parece um foguetão e cuja luz é fulcral para os barcos que atravessam de noite a barra de Lisboa.

Porém, quando um olhar se centra apenas em imagens gerais perde imenso. É essa a primeira tendência quando se vive num andar muito alto e com ampla vista. O meu teria perdido imenso se eu não decidisse limitar o ângulo e orientar a objectiva da máquina para o que estava mais próximo. Aí encontrei curiosos detalhes nunca registados com um olhar puramente fotográfico.

Estamos confinados… eu estou confinada… mas lá em baixo, na rua, a vida continua.

Carros, motas, bicicletas e peões dividem-se entre actividades obrigatórias e de lazer. Cada um terá certamente o seu propósito, como eu neste meu décimo andar, estou a cumprir o propósito de partilhar o que os dias me vão oferecendo.

No momento em que publico este post chove lá fora, está nevoeiro e a vista que tenho é mínima. Se, neste mês de Fevereiro que hoje se inicia o tempo decidir melhorar, talvez ainda faça um outro post dentro desta temática…mas com mais cor.

Até lá….. a solução é viver com saudades da liberdade e de um belo céu azul!

26 thoughts on “olhar confinado…

  1. Hoje pela manhã a primeira notícia que ouvi numa rádio local, foi: Portugal vive seu pior dia da pandemia. Por aqui, cuja situação não nada melhor, sempre digo: que fase!
    Não conheço, Portugal, ainda…
    Mas, lindas fotos. Se cuide.

    Liked by 1 person

    1. Felizmente que essa noticia não estava certa, pois o maior numero de casos diários foi a 27 de Janeiro. Aos poucos começaram a diminuir e, ontem e hoje, os números dão alguma esperança que o pior já passou. Veremos os próximos dias. De qq forma os óbitos continuam muito elevados e os serviços de saúde estão ainda no limite.
      Ficar em casa é a melhor ajuda que podemos dar neste momento. E olhar pela janela, a “liberdade” física possível!
      Muito obrigada.

      Like

  2. Hummm…Hoje é dia da Senhora das Candeias. Dizem os antigos que “se rir, está o inverno para vir; se chorar está o inverno a acabar”. Vamos ver se acerta:). E poderemos, ao menos, ver como a natureza rejubila. Que ela vai continuar imperturbável e a cumprir as estações.
    Mas, em inícios de Fevereiro, este é um tempo próprio. O vírus é que é impróprio.

    Liked by 1 person

    1. É verdade Bea, o vírus é que é realmente improprio e perturbador destes tempos.
      De qualquer forma, apesar de saber que estamos no tempo deste tempo meteorológico e que estamos a meio caminho da Primavera…a verdade é que por vezes não o “tolero” muito bem. Enfim, cada um é como é.
      Sobre a Senhora das Candeias (ou da Luz) na tradição cristã, é muito engraçado perceber que neste dia também se celebra a Festa das Candelárias (ou Imbolc) na tradição celta, e que para eles marca “o início da Primavera”, na medida em que estamos a meio caminho entre o solstício de inverno e o equinócio da Primavera. Ou seja a partir de agora, a Luz impera sobre a escuridão.
      Muito obrigada Bea e desejo um dia feliz… seja cinzento ou azul!

      Like

  3. Tempos difíceis que estamos todos vivendo Dulce. Cada um a sua maneira sobrevivendo da melhor maneira possível ao confinamento necessário…. e a vida continua. Esperança que me move em acreditar que tudo passa. Isto também vai passar!!! Enquanto isto… pelas janelas vamos descobrindo e (re) descobrindo novos olhares. Imaginando 💭. Adorei suas fotos 👀👏🏻. Abraços

    Liked by 1 person

    1. Tudo passará…como tudo passa na Vida. Até lá, há que “espremer” os detalhes dos dias e neles tentar encontrar algo que os diferencie. Se não for esse o caminho, por vezes é complicado.
      Entretanto, ainda bem que apreciou as fotos e o post.
      Obrigada e desejo um bom fim-de-semana.

      Like

  4. Dulce, espero que estes dias tão cinzentos passem. Aos poucos, aproximamo-nos da Primavera e que ela nos traga um novo ciclo. Também não sou grande fã do inverno mas são ciclos e já falta pouco. Uma coisa que me tem estado a aborrecer um pouco é que no primeiro confinamento vi muito menos gente na rua, transito, barulhos. Neste, de acordo com as suas fotos, aí parece estarem a cumprir o confinamento, por cá, vejo demasiada movimentação na rua.
    Aproveito para dizer que as suas vistas são maravilhosas, 10º andar com vistas encantadoras!
    Espero que ao menos o olhar, nos dê tréguas e que os dias que se avizinhem sejas mais radiosos e quentes.
    Por enquanto só lhe posso enviar um abraço aconchegador e um beijinho.

    Liked by 1 person

    1. Eles chegaram bem! Obrigada.
      Quanto ao movimento do confinamento actual, concordo que existe muito mais tráfego e pessoas na rua que em Abril e Maio. De qualquer forma, aqui na minha zona a diferença ainda é muito grande relativamente ao período pré-pandemia.
      As minhas fotos mostram detalhes, não revelando muito o movimento que realmente existe.
      E é verdade, a partir de agora a Primavera começa a estar mais próxima e a luz a ter mais presença. Como eu gosto!
      Bj e obrigada pelo comentário.

      Liked by 1 person

  5. Partilho da mesma opinião da Dulce, não gosto de dias cinzentos e constantemente chuvosos.
    São deprimidos…mas a Dulce dá-nos uma perspectiva um pouco diferente através destes olhares entre olhares.
    Temos que ser pacientes, mas o sol ia ajudar…
    Um beijinho.

    Liked by 1 person

    1. Ajudaria bastante, sem dúvida. Mas, por outro lado, também tornaria mais difícil a obrigatoriedade de ficar em casa…
      Enfim, temos é que nos adaptar a estas estranhas circunstâncias e ter muita paciência.
      Obrigada Fernanda e um dia o mais feliz possível!

      Liked by 1 person

    1. Mal de nós se não arranjarmos estratégias para ultrapassar estes períodos com algum equilíbrio, não é? Creio que fará parte das aprendizagens destes tempos loucos da pandemia.
      E é verdade, eu sou uma felizarda. Apesar de estar confinada, o meu olhar tem a liberdade de voar por uma ampla e diferenciada paisagem. E estou muito grata por isso.
      Tal como estou grata à Silvana pelo seu comentário.
      Desejo-lhe um bom domingo!

      Liked by 1 person

  6. I have been reading about the difficulties in Portugal and I’m very sorry you’re dealing with that. What can you do but look for inspiration from your windows? I’ve lived in tall buildings in cities a few times – it provides an interesting view of the world but you’re smart to search for the details. I love the partridges! Also, the photo of the two planters in the next block of photos, with the perfectly composed yin-yang background. 🙂 The flock of pigeons against the clouds is beautiful, the is Kestral, too. We have Kestrals here – they’re a little different but I recognize yours is related to ours. I think the photos of people walking running, playing, and riding bikes are my favorites – they’re beautifully composed. I long for you to have that beautiful blue sky again, the freedom to move around where you want to go, and the knowledge that the virus is going away.

    Liked by 1 person

    1. Fortunately, the extremely high number of infected people we had in January and early February has already dropped a lot with more controlled confinement. But it will still take some time for our freedom of movement to return to normal, as hospitals are still at a high occupancy rate.
      I believe and hope that Spring will be a new phase for all of us.
      Until then, in addition to a daily hygienic walk, the “world” is the windows of the house and what they offer me. In fact, I really enjoyed making this post and seeing what I had not seen so far with due attention.
      And I like to know that Lynn, as a photographer, also appreciated them!
      Thank you!

      Liked by 1 person

      1. I’m with you in hoping spring will be much better. We may still have some bumps in the road but with more people vaccinated, even with the new variants, things should get better. I’m not surprised that you enjoyed yourself – limitations can be very good friends, right? 😉

        Liked by 1 person

    1. Quando nos adaptamos minimamente às circunstâncias que nos envolvem e não “digladiamos” com elas, só temos a ganhar e tudo fica mais fácil. E encontra-se sempre algo de diferente e novo.
      Foi apenas isso que deu origem a este post. Mas concordo, uma vista privilegiada tem realmente muitas vantagens!😊
      Obrigada Nuno e uma boa semana!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s