a praia

Entre a tarde e a noite
de um dia de Verão,
a praia fluia
num tempo sem intenção.

Enorme
deserta
maré vazia…
reflexos na areia,
cheiro a maresia!

Templo de gaivotas
em tempo de liberdade,
elas e eu
talvez a felicidade!

(Dulce Delgado, poema antigo, não datado…mas sempre actual!)