escorrências

Quando um líquido atinge/escorre de forma continuada a camada mais superficial de uma pintura, vai deixar marcas, fenómeno a que tecnicamente chamamos de escorrências. Esses danos podem ser superficiais ou mais profundos, consoante o agente em causa e/ou o seu tempo de actuação. Na realidade, são “feridas” que alteram o equilíbrio material e visual de qualquer obra, estando posteriormente na mão de técnicos especializados a possibilidade de neutralizar esses danos a fim de recuperar a integridade física e estética entretanto perdida.

Recentemente tive em mãos uma pintura com imensas escorrências, o que exigiu um paciente e persistente trabalho de integração cromática…e obviamente, bastante tempo para divagar pelo meio…

…qualquer agressão, seja em palavras ou em atitudes, tem consequências;

…mesmo uma agressão mais superficial, originária de uma palavra menos conveniente ou de uma gesto que possa incomodar a sensibilidade de alguém tem os seus efeitos. Estes poderão ser passageiros ou persistir no tempo, o que depende principalmente da estrutura emocional e da maturidade da pessoa afectada;

… mais defesas tem igualmente uma pintura que esteja protegida com um verniz mais espesso, o qual concede uma maior protecção e resistência a danos superficiais. Pelo contrário, uma pintura com uma camada de verniz mais fina ou inexistente, sofrerá danos bem mais gravosos e profundos;

…seguindo esta linha de pensamento e voltando a nós, seres de carne e osso… também uma agressões mais profundas e de certa forma “incisa” causará maior perturbação, sendo possível que necessite de uma ajuda psicológica profissional, logo mais complexa e longa. Ou seja, muito mais investimento, atenção e tempo até o equilíbrio ser restabelecido.

Nuna pintura, dada a verticalidade e a linearidade destas linhas, normalmente bem definidas, o trabalho é exigente na medida em que é muito mais fácil harmonizar em cor e brilho fronteiras irregulares ou indefinidas, do que aquelas totalmente lineares. Aliás, não estarei errada ao afirmar que neutralizar esse tipo de dano é um dos trabalhos mais exigentes a nível da integração cromática numa intervenção de conservação e restauro em pintura.

Quem leu isto até aqui, talvez esteja a pensar que não são situações comparáveis. Realmente não são se pensarmos apenas na naturezas do que está em causa. Porém…de certa forma são, pois sendo tudo o que existe matéria e energia em movimento, qualquer agressão afectará a estabilidade dos átomos e moléculas que tudo estruturam, assim como a energia que os mantêm unidos.

Seja numa pintura… seja na matéria/energia que nos constrói e sustenta.

(Imagens de arquivo pessoal)

Advertisement

10 thoughts on “escorrências

  1. A vida humana e não humana está (e é por isso que é tão perfeita) repleta de analogias e paralelismos. Reflexão muito interessante Dulce, e que boa sensação deve ser poder “devolver” vida e beleza a algumas peças! Boa semana para aí.

    Liked by 1 person

    1. Sim, isto realmente não passa de uma analogia e de uma reflexão, bastante subjectiva aliás.
      Como em todas as profissões, há trabalhos que são extremamente estimulantes e gratificantes e outros que nada nos dizem. Curiosamente, depois de 41 anos como conservadora/restauradora de pintura e depois de trabalhar em centenas de pinturas de todo o género, neste momento prefiro trabalhos que me deem “luta”…porque num trabalho fácil e normal…o tempo e os dias simplesmente não passam!
      Obrigada Antónia e boa semana!

      Liked by 1 person

  2. Eu sempre comento com escritores a respeito da responsabilidade da escrita. A palavra é uma arma engatilhada ou uma lâmina bem afiada, por isso, é preciso cuidado. Ferir alguém é coisa séria, pois não sabemos a extensão dos danos. Enfim, creio eu que uma tela, independente do que a atingiu, seja mais fácil “reparar”. Há técnicos especilizados em restauro. Mas os que há para ajudar os humanos e seus danos nem sempre são capazes de socorrer o humano e suas cicatrizes.

    Adorei o texto
    bacio

    Liked by 1 person

    1. Cara Lunna, obviamente que, como eu bem refiro no final do texto, não são coisas comparáveis. Apenas “comparáveis” na dualidade matéria/energia. Há danos e danos, mas aqueles danos onde habita uma “alma” serão certamente bem mais danosos e profundos.
      Contudo, assim como uma ajuda médica/psicológica poderá não ser capaz de resolver perturbações profunda, também o melhor restaurador não conseguirá neutralizar completamente um dano muito gravoso. Ele não será detectado certamente pelo observador comum, mas quem tem o “olhar habituado” como um restaurador, sempre encontra essas “cicatrizes”.
      Ainda bem que apreciou o texto!
      Muito obrigada e desejo uma boa semana.

      Like

  3. Deve ser um trabalho bem interessante, saber, pacientemente restaurar uma pintura. A comparação é perfeitamente justa. Na pintura à esquerda, até que não ficava mal, deixar assim, como uns fios de água escorrendo, ou as rugas do tempo.

    Liked by 1 person

    1. Como em todas as profissões, há trabalhos que se gosta de fazer e outros que se gosta um pouco menos.
      Diria que é extremamente importante a empatia que se cria com a obra que vai passar dias e dias à nossa frente. No geral essa ligação acontece, mas por vezes simplesmente não acontece. Nesses casos pode ser mais complicado, porque o trabalho tem que ser feito da mesma forma e com a mesma qualidade.
      Quanto à imagem da esquerda, ela é apenas um pequeno detalhe de uma pintura bem maior.,,,e cheia de “rugas do tempo”!
      Obrigada e boa semana.

      Liked by 1 person

  4. It’s an interesting metaphor Dulce, you expressed it well. We need some protection but we don’t want our personal coats of varnish to be so thick that nothing can make a dent. It’s tricky. 🙂

    Liked by 2 people

    1. I really like metaphors and relating different things….
      Here, as in almost everything in Life, it is best to walk the middle ground: not too much “varnish” nor too little “varnish”!
      Thank you.

      Liked by 2 people

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s