sabes desenhar?

É provável que a maioria dos leitores deste post diga que não, que não tem jeito. Essa é a resposta mais comum.

Porém, se tal desejo vos habita de uma forma mais ou menos consciente, que essa primeira resposta nunca seja impeditiva de tentarem. O importante é querer iniciar essa caminhada com vontade e sobretudo sem expectativas, sendo certo que ela levará a um certo “auto-conhecimento” e a adquirir um olhar mais conciso e estético sobre o que nos rodeia.

Neste Dia Mundial do Desenhador não me vou alongar, pois iria repetir-me. Creio que o melhor será irem a este post que publiquei no início do Discretamente em 2016 e onde o desenho foi tema. Nele partilho algumas dicas para quem aceita esse desafio, sendo certo que seis anos depois essas palavras continuam actuais e a reflectir o que penso e sinto.

Antes de terminar gostaria ainda de dizer algo sobre a imagem/desenho que inicia este post. Ele simplesmente significa que tudo o que o que abarcamos com o olhar é desenhável, seja grande ou pequeno. Significa ainda que basta uma simples caneta e um caderno para o fazer, não sendo aceitável a desculpa de falta de material adequado.

E por ultimo significa que, nesta aprendizagem, o desenho mais gratificante é o mais simples, ou seja, aquele em que quer a mão quer o olhar conseguiram “perceber” o essencial e transpor isso para o papel.

Tentem e não desistam desta viagem. Ela é para toda a Vida!

Este dia justifica-se porque foi a 15 de Abril de 1452 que nasceu Leonardo da Vinci, talvez o maior desenhador de sempre. Em Portugal também é conhecido como o Dia Mundial da Arte, sendo que no Brasil, por exemplo, é conhecido como o Dia Mundial do Desenhista.
Advertisement

23 thoughts on “sabes desenhar?

  1. Como gostaria de dizer que sim….
    Como aprecio essa arte e nessa matéria, a Dulce está de parabéns!
    Hoje tenho o privilégio de estar numa cidade onde se respira arte em cada praça e em cada esquina, do grande Leonardo da Vinci e não só…(Florença)
    Desejo-lhe uma Feliz e doce Páscoa.

    Liked by 2 people

    1. Uma belíssima cidade para passar a Páscoa, abstraindo do facto de, provavelmente, estar com gente a mais….
      Estive em Florença em 2008, no final de Maio e fora do períodos de férias. E nessa altura já encontrei imensa gente e filas para tudo.
      Abstraindo isso, é uma cidade cheia de belezas, artísticas e não só.
      Boas férias e boa Pascoa, Fernanda. 🌼E obrigada por aparecer por aqui!🙏

      Liked by 2 people

      1. É verdade Dulce, uma cidade repleta de história e de arte.
        Chego com o olhar satisfeito.
        Mas de facto, tinha muita gente….mas como queria muito conhecer e também não tinha grande alternativa de datas, valeu a pena.
        Uma boa semana para si🌷

        Liked by 2 people

  2. O seu post trouxe incentivo extra para mim, que nunca descartei a ideia de começar a desenhar/pintar. Agora fico mais confiante e espero, em brev,e dar os primeiros passos. Valeu, obrigado!

    Liked by 1 person

    1. Que satisfeita fico por saber da possibilidade de “angariar” uma pessoa para a minha causa 🤗
      Essa seu desejo é o motor, o essencial. O resto vai com o tempo e a persistência. Bom trabalho!
      Obrigada e boa Páscoa!

      Like

  3. Dois artigos tão interessantes quanto bem ilustrados, como habitualmente. Eu sou das etiquetadas, mas por mim. Não me recordo de alguém me ter dito que eu não sabia desenhar mas sempre que o tentei fazer (na escola, nas aulas de desenho, para os meus filhos, nas telas que eu tanto gosto de pintar) acabei sempre por concluir isso, que me falta o jeito. Tem absoluta razão quando diz que o treino, a experiência, são fundamentais. Mas também me parece que em algumas pessoas é inato, como inatos são outros dons. O meu marido treina seguramente menos do que eu (sempre o vou fazendo quando me apetece pintar), pega num lápis e desenha o que quer. Sou muito atenta aos detalhes do que me rodeia. Se vou de carro e não vou a conduzir, vou sempre a observar as características de cada paisagem, na rua os detalhes arquitetónicos das casas (as portas, as chaminés, as sacadas, os azulejos), as mudanças das árvores a cada estação, e faço imensos desenhos mentais que a mão depois se recusa a acompanhar. Sim, reconheço não ter tentado/treinado o suficiente, mas teria de insistir comigo própria. Talvez seja também uma questão de apelo, porque há outras áreas em que fiz esse percurso de treino de forma voluntária, sem ter de insistir. Parece-me ser assim com quase tudo, quanto mais treinamos mais perfeito sairá. Votos de uma Páscoa feliz Dulce, no papel ou apenas na cabeça que continuemos a desenhar a vida. 🌸

    Liked by 1 person

    1. Concordo que esse apelo é fundamental. Se o desejo/sonho de o fazer não está lá dentro, será difícil. Não pode ser só a cabeça, tem que estar o coração também.
      Ou seja, isto aplica-se às pessoas que dizem “gostava de saber desenhar mas não sei”. Essas, se tentarem com persistência conseguem.
      E há os que têm jeito e nunca exploraram isso, o que na minha perspectiva é uma pena, pois acho que todo o potencial deve ser explorado. Se viemos com uma “oferta”, não a devemos ignorar.
      Para terminar, quando a mente está atenta e “desenha” com o olhar já é maravilhoso, pois significa que aí habita sensibilidade. E dá para perceber muito bem que a Antónia é uma dessas pessoas!
      Muito obrigada e desejo igualmente uma boa Páscoa.

      Liked by 1 person

  4. Desenho nos versos e rimas… Desenhar não sei… Sempre me faltou coordenação motora… Na 6ª série a 1ª de 2 notas abaixo da média que tirei ao longo de minha vida escolar. Exatamente em Arte. Talvez, por isso, escrevo em versos o que gostaria de desenhar.

    Liked by 1 person

  5. Aprender a pintar, desenhar, é isso mesmo, é um olhar diferente, uma atenção, uma vontade de expressar-nos quando experimentamos. Eu já experimentei há muitos anos e sei que é assim. Com toda a gente. E toda a gente é capaz de o fazer.

    Liked by 1 person

  6. Identifico-me com este post… e admito que a minha preguiça por vezes se sobrepõe à vontade de desenhar… pode ser que agora com o Vasco a vontade se sobreponha à preguiça 🙂 Não quero desistir desta viagem do desenho ❤

    Liked by 1 person

    1. Boa, estás a melhorar!
      Pelo menos já percebeste que existe uma viagem que podes fazer!🤗
      Que esse desejo de vontade se fortaleça… com ou sem o Vasquinho como intermediário!
      Bjs e obrigada 🧡

      Like

  7. “whatever we encompass with our eyes is drawable, whether big or small…” Your advice is encouraging and your drawing is graceful in its simplicity. The post from 2016 is excellent! I’m glad you linked to it. I like the way you began by reminding the reader that parents and teachers (or the other kids) may have pigeon-holed us into certain roles that don’t reflect our endless possibilities. And I especially appreciate the last point, that after drawing with a pen or pencil for a while, we begin to really see differently, to pay attention to the shapes. I find that’s true when I’m behind the camera. Thank you, Dulce.

    Liked by 1 person

    1. To begin to “draw” and to perceive the forms with the look, I believe that it is a big step for the understanding of the aesthetics that surrounds us.
      Whichever way one chooses to capture it afterwards.
      Glad you enjoyed the post!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s