presenças ausentes

Apesar de pouco consciente em nós, é uma arte que está em todo o lado e todos os dias passa pela nossas mãos, seja numa revista ou jornal, nos livros que recebem o nosso olhar, na capa daquele disco compacto ou vinil que ouvimos, nas agendas em papel ou calendários que nos regem o tempo, nas caixas de medicamentos que consumimos ou nos modelos e documentos oficiais…seja nos belíssimos rótulos de garrafas de vinhos que existem actualmente ou nas inscrições que identificam qualquer produto.

Ainda mais indiferente ao nosso olhar, essa arte está igualmente naqueles flyers irritantes que sempre colocam nos nossos carros dizendo que o querem comprar…nos folhetos com promoções dos super e hipermercados que nos esperam na caixa de correio, em toda a publicidade de habitações para arrendar e vender, e ainda, na organização de conteúdos de todo o tipo de publicidade que nos chega às mãos em suporte de papel….e que, na maioria das vezes, vai directamente para a reciclagem.

O design gráfico está presente no que é palpável mas igualmente na construção das inúmeras páginas virtuais que diariamente procuramos na internet (aqui sob a forma de web design), e que foram construídas e modeladas por um olhar especializado para que a nossa experiência visual seja apelativa e mais facilmente atraída e conquistada.

São os trabalhadores escondidos da estética dos nossos dias e de certa forma de um certo “consumismo” que nos rege. Ao colocarem um título, imagem, desenho, texto ou um espaço no lugar certo, estão a construir e a atrair emoções. As nossas emoções. Diria que eles trabalham para o nosso olhar e para que os nossos dias sejam esteticamente mais agradáveis, mesmo que não tenhamos consciência desse facto.

Eles são os designers gráficos e hoje, 27 de Abril é o seu dia mundial.

Na generalidade, este post é para todos esses trabalhadores de bastidores e de pouca visibilidade. E é particularmente para a minha filha e para o seu companheiro, ambos designers gráficos e detentores de um sentido estético que muito aprecio. 🧡

Valorizemos o trabalho destes artistas-técnicos, inclusive naquelas áreas e detalhes que normalmente nos são indiferentes e que ignoramos.

Advertisement

10 thoughts on “presenças ausentes

  1. Já aprendi alguma coisa! não fazia ideia que hoje era o ‘meu dia’ 😀 Obrigada por esta homenagem… de facto somos os ‘trabalhadores escondidos da estética dos nossos dias’ como disseste e muito bem! e ficamos muito contentes (eu e o André) por gostares do nosso sentido estético.. eu também tenho a quem sair 😉 Obrigada e beijinhos nossos! e do nosso Vasquinho também, claro! 🙂 ❤

    Liked by 1 person

    1. Ainda bem que gostaram de saber da existência deste dia. Estamos sempre a aprender, não é?
      Como muitas outras profissões de “bastidores”, a vossa está realmente muito presente nas nossas vidas e, apesar disso,´ passa bastante despercebida. Por isso chamar o atenção é importante.
      Um bom dia de trabalho para ambos e bjs para os três!😘😘😘

      Like

  2. Eu dou imenso valor, e aprecio até a boa publicidade. Como estive envolvida na feitura de web design, para fins sociais, admiro o seu trabalho e criatividade. A maior parte das pessoas não fazem ideia. Merecem com certeza toda a nossa admiração!

    Liked by 2 people

    1. O que gostamos, indirectamente sempre apreciamos o trabalho. Mas o que não ligamos e até rejeitamos, não por ser feio mas por não nos interessar na altura, como por exemplo toda a publicidade em folhetos, é imensa. Mas também essas resultou do trabalho e do olhar de alguém.
      Diria que é uma espécie de “indiferença inócua”, mas não deixa de ser indiferença. E como tal devemos tentar combatê-la.
      Muito obrigada e desejo o melhor fim-de-semana possível…. neste tempo que nos roubou a tranquilidade.😥

      Liked by 2 people

  3. Há muitos aspetos do nosso quotidiano que nos passam despercebidos. Estamos habituados a olhar para a arte em locais específicos quando na verdade a arte e a cultura estão presentes em quase tudo da nossa vivência. Parabéns a quem trabalha nesta área tão importante, que até nos traz arte casa, e à Dulce (sempre tão atenta) por a evidenciar aqui. Bom fim de semana!

    Liked by 2 people

    1. É isso mesmo, em tudo e em todos os objectos/equipamentos – sejam culturais ou do nosso dia a dia – há sempre, mas sempre alguém nos bastidores da sua existência. Mas como nós esquecemos isso, não é?
      Obrigada Antónia e desejo igualmente um bom fim-de-semana!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s