pela ilha da madeira (IV)

Dou as boas vindas ao Outono com um último post sobre as férias de Verão na ilha da Madeira. Creio que é tempo de terminar esta temática no Discretamente, apesar do tema de hoje – os seres vivos – sempre terem a nossa atenção durante todo o ano.

Ao longo dos dias que permanecemos na Madeira foram muitos os animais que cruzaram o nosso olhar e que nos “cumprimentaram”, seja em passeios realizados pelo interior da ilha seja na zona costeira.

Começo por aqueles que utilizam o solo como seu habitat principal….

…e aí, a sensação com que ficamos é que os lagartos/lagartixas foram os mais vistos especialmente nas zonas mais periféricas e soalheiras da ilha. De tons diversos, eles estão em muros, pedras ou no calhau rolado, bastando apenas um pouco de atenção para logo os ver. São fugidios mas, se pararmos em pouco, são capazes de se aproximar….de tal forma que estando eu sentada tranquilamente num muro a apreciar o mar…olho para o lado e vejo um a explorar o exterior da minha mochila. Reagi e ele logo fugiu. Digamos que os aprecio, desde que não entrem no meu “território pessoal”…

Leves, ágeis e apreciadores quer da terra quer do mar, os caranguejos merecem uma referência, pois foram muitos os que vimos.

De patas bem assentes no solo mas bem mais possantes e pachorrentas, as vacas  cruzaram o nosso caminho em vários momentos, sempre com aquele ar que as caracteriza que fica entre a indiferença e a tranquilidade. Cabras e ovelhas deram igualmente um ar da sua graça…

Dispersando um pouco o olhar, é altura de me centrar naqueles que conseguem voar. Vejamos primeiro as aves…

…ficamos com a sensação que quem reina na ilha são os sociáveis tentilhões, mais ou menos coloridos consoante o sexo ou idade. A ave que inicia este post é um tentilhão macho já adulto. As fêmeas, como geralmente acontece no mundo das aves, são bem mais sóbrias.

Adaptaram-se tão bem à dinâmica dos muitos turistas que visitam a ilha, que fazem da sua presença uma mais-valia. Constatamos que muitos procuram o final dos trilhos, locais onde a maioria das pessoas pára para descansar, comer qualquer coisa…e aí deixar migalhas! Então é vê-los a aproximar-se sem qualquer medo, como mostram as duas fotos que se seguem.

Este permaneceu perto de mim, por imenso tempo!

Para além dos tentilhões foram poucas as espécies de aves que vimos. Pela minha parte apenas consegui fotografar uma lavandeira (que no continente tem o nome de alvéloa-cinzenta) e um pensativo garajau comum a apreciar a ondulação!

Saltitões ou voadores, os insectos são sempre um desafio. Ainda consegui captar estes gafanhotos (um maior e outro pequeníssimo), um escaravelho (?), uma aranha e vários abelhões, ficando aqui apenas o melhor exemplar deste último.

Por fim, as borboletas! Sempre irrequietas e coloridas, foram muitas as que vimos. Eu porém, apenas consegui fotografar decentemente estes dois exemplares que se seguem.

Mas sendo estas férias partilhadas com o meu companheiro e um tempo inesquecível para ambos, termino com mais três exemplares de borboletas lindamente fotografadas por ele (Jorge Oliveira) e de que gosto muito.

Se estas férias foram um “voo a dois”, que este final seja também de ambos!

Para terminar…

… desejo sinceramente que a mudança de estação hoje ocorrida – Outono para uns e Primavera para outros – seja um tempo de tranquilizar o mundo e, indirectamente, de tranquilizar a Vida de todos nós.

Bom fim-de-semana!🍀

Advertisement