detalhes de um museu

Nas duas últimas deslocações que fiz à ilha da Madeira, a Casa das Mudas/Museu de Arte Contemporânea da Madeira foi um ponto de paragem obrigatório na vila da Calheta.

Mais do que o acervo e/ou potencial expositivo deste museu, o que mais me atrai é a sua arquitectura, especialmente os módulos de construção mais moderna e inseridos numa cota inferior relativamente ao edifício principal.

Gosto imenso dos detalhes que proporcionam a um olhar mais atento… da simplicidade e linearidade das suas formas… dos contrastes…do espaço entre módulos…do azul do mar ou verde da vegetação que se perscruta entre eles…da elegância das escadas e corrimões, etc., etc.

Tudo parece estar no local certo e em harmonia com a paisagem, sendo um deleite para os que apreciam um género de arquitectura simples e minimalista.

Este museu resultou de um projecto do arquitecto Paulo David, sendo inaugurado em Outubro de 2004. É um espaço que merece uma visita atenta, seja pela arquitectura do edificio/paisagem envolvente, seja pelo seu conteúdo.

Sendo hoje sexta-feira, onde quer que estejamos aproveitemos os detalhes dos lugares, dos dias e especialmente da Vida!

Desejo um bom fim-de-semana!🤗

Advertisement

o ninho

 

_G3A7178_DxO Jamor (04-06-2020) a

 

No mundo dos insectos…

…elas são perigosas pelo facto de serem predadoras de outros semelhantes, nomeadamente de abelhas. Na Europa, foram detectadas pela primeira vez em França no ano de 2004 e chegaram ao norte de Portugal em 2011. Estou a falar da Vespa Velutina ou asiática, um insecto invasor e com características próprias que a diferencia da Vespa Europeia.

No meu país, a sua expansão continuou para sul e já chegou à região de Lisboa. Assustador é pensar que só este ano já foram destruídos mais de 1100 ninhos em Portugal.

Recentemente o meu companheiro detectou e fotografou um desses ninhos no Vale do Jamor, nos arredores de Lisboa. Contactou de imediato as entidades competentes, que já o tinham sinalizado, sendo destruído nos dias seguintes.

Não obstante a evidente necessidade e a urgência em destruir estes ninhos, e principalmente de tentar incrementar um programa de captura de rainhas-fundadoras durante a Primavera para evitar a expansão desta perigosa espécie…

…perante estas fotografias, eu não posso deixar de admirar a beleza de tais estruturas e o cariz orgânico das suas formas e volumes, e não consigo deixar de os ver como verdadeiras obras de arte de arquitectura da natureza.

 

_G3A7178_DxO Jamor (04-06-2020) bc

 

Que pena não serem uns insectos mais simpáticos e pacíficos!

 

(Fotos captadas por Jorge H. Oliveira em 4 Junho 2020, no vale da Ribeira do Jamor, Lisboa)