poema do olhar

 

varias fotos

 

Gosto de desenhar
poesia com o olhar!

Rima a nuvem
com o céu
em seu longo deslizar…

o horizonte
com o mar
que leva o barco a navegar…

o monte
com o pássaro
no seu doce ondular…

a árvore
com a sombra
nascida para refrescar…

a flor
com a sua cor
num efémero vibrar…

e eu,
neste lugar,
procuro rimar com a vida
que a Vida tem para me dar!

 

 

(Dulce Delgado, Junho 2018)

 

 

 

riscando o céu…

 

IMG_3164a

 

Uma linha entre tantas que sulcam os céus.

Como um traço de giz, o rasto de cada avião divide o “céu” que nos envolve em duas metades, o que não deixa de ser um pensamento interessante. Porém, mais admirável, é o facto desses traços resultarem da capacidade humana de voar e… de nos céus desenhar!

Em cada avião vai um pequeno mundo de homens e mulheres, de raças, culturas e idiomas diferentes. Gente simples e complexa, gente que viaja em busca de algo, seja novo, desconhecido ou pela vida já concedido.

Mas cada um desses seres transporta o seu próprio mundo, construído de pensamentos, sentimentos e sensibilidades, onde se misturam desejos e frustrações, prazer e dor, alegria e tristeza, tranquilidade e ansiedade, certezas e dúvidas. Rancores talvez. E sentirá certamente amor, porque esse toca a todos… seja de que forma for…mesmo que seja com ar de dor!

Quase certo será ali viajar o receio e algum medo…afinal a terra firme está bem longe! Nele haverá um rol de emoções vividas na intimidade de cada consciência, momentos pessoais que colam o corpo e a energia ao assento, seja coxia seja janela. Tantas emoções como o número de viajantes que o acaso, ou não, juntou naquele avião, naquela viagem, e que, com ternura, eu guardei nesta imagem.

Olhando daqui… somos tão frágeis, iguais, pequenos e vulneráveis!