duna da crismina

Quando imagens dolorosas e sentimentos de revolta nos habitam em virtude da actual situação do mundo, instala-se uma inquietação que interfere com a nossa sensibilidade, dinâmica, ritmos de sono, etc, etc,. No sentido de tentar equilibrar e até de “distrair” tanta inquietação, é urgente recorrer ao que nos possa dar alguma paz interior. Nesse rol de possibilidades, a natureza sempre foi para mim uma fonte de paz, porque nela encontro um saudável respirar e olhares de encantar.

Muito recentemente tentamos esquecer o mundo por algumas horas fazendo um passeio pela Duna da Crismina, um espaço localizado no Parque Natural de Sintra-Cascais com características e dinâmicas muito próprias e que pode ser percorrido através de passadiços aí instalados há alguns anos.

Toda a área costeira a norte do farol da Guia intervém na dinâmica deste sistema dunar e abrange zonas arenosas, rochosas e praias, sendo as praias do Guincho e da Crismina as mais activas em todo este processo. Nessa linha de costa também se insere o Cabo Raso, área que percorremos antes de entrar no perímetro da Duna da Crismina propriamente dito.

Penetramos na duna pela entrada norte a fim de percorrer todos os passadiços em madeira aí existentes. Estes tanto atravessam áreas com rara vegetação como outras bastante arborizadas, predominando nestas ultimas o pinheiro.

Envolvia-nos um dia de inverno demasiado tranquilo e primaveril, o que tem sido comum em Portugal e uma verdadeira fonte de preocupação para todos nós devido à seca extrema daí resultante e já instalada em todo o território.

No céu, uma diversidade de olhares. Mas à medida que as horas iam passando, algumas nuvens foram dispersando, algo muito comum em toda aquela região próxima da Serra de Sintra.

O que mais gosto e o que mais me tranquiliza neste tipo de paisagem são os detalhes que salpicam a paisagem de beleza especialmente em áreas onde a vegetação escasseia e que geralmente coincidem com as de maior mobilidade da duna.

Esta tranquilidade natural acalmou um pouco a minha intranquilidade. Bastante menos do que eu desejaria, é certo, mas nos tempos que correm tudo o que nos anime, por pouco que seja, é muito bem-vindo.

quinta do pisão

 

IMG_2729

 

A Quinta do Pisão é um espaço de natureza integrado no Parque Natural Sintra-Cascais e gerido pelo município desta ultima vila.

Em 2016 mencionei-o num post a propósito da exposição Landart Cascais que nele se realiza anualmente e na qual são expostas ao ar livre obras de vários artistas convidados.

Este ano voltei a ele, pela primeira vez fora do contesto desse evento que normalmente se realiza entre a Primavera e o Verão, ou seja, numa época de maior calor e secura. Visitado agora em pleno Inverno e após uns dias de chuva, ofereceu uma paisagem exuberante e muito verde. Fomos igualmente surpreendidos com a recuperação de espaços degradados, um dos quais adaptado a centro de interpretação.

Este espaço rural tem ainda uma horta biológica com venda directa ao público e muitas outras actividades educativas e de lazer.

Para terminar, é importante dizer que possui vários percursos interpretativos que proporcionam um belíssimo e bucólico passeio, como revelam as imagens que se seguem.

 

IMG_2709a

 

IMG_2732a

 

IMG_2722a

 

IMG_2734a

 

IMG_2741a

 

IMG_2740a

 

IMG_2755a

 

IMG_2746a

 

IMG_2706a.jpg