ao ritmo de um chá…

Entre as mãos e a alma
uma chávena de chá
aquece    
e acalma,
infusão de natureza
que o corpo recebe
com paz
e gentileza!  

15 Dezembro – Dia Internacional do Chá 
Na origem deste dia dedicado ao chá não está propriamente a temática deste pequeno poema, ou seja o prazer de o degustar, mas algo mais profundo e que se prende com os problemas associados à sua produção, como é o caso dos direitos dos trabalhadores e preços justos na sua comercialização. 
Para nós é muito fácil ir a uma loja, adquirir um pacote de chá e apreciá-lo com toda a tranquilidade. Porém, esse gesto simples resultou do trabalho de muitos, por vezes sem condições nem direitos. Aliás, como acontece em muitos dos produtos que fazem parte da nossa vivência diária.
Por isso, lembrar a existência destes datas é importante e, no mínimo, podem-nos levar a reflectir sobre a origem de algumas das nossas escolhas.

Advertisement

o que é nosso

 

band 2

 

No complexo contexto económico em que vivemos a solidariedade entre países é importante, mas neste momento é fundamental que todos apostemos um pouco mais no recanto onde nascemos. Como portuguesa, creio que apostar naquilo que é fabricado e produzido em Portugal nunca foi tão urgente como agora. Este é o nosso terreno, tem as nossas raízes e precisa de nós. Como tal, nunca serão demais os alertas que nos orientem para uma mudança de paradigma na forma de comprar/adquirir produtos.

Tudo começa no acto de verificar a etiqueta/rótulo antes de comprar, assim como na opção pelo comércio local/pequeno comércio, em regra mais associado a produtores de proximidade. Mas não só. Os tempos mudaram e outras formas de comércio são agora banais, pelo que muitos produtores e fabricantes nacionais apostaram e/ou reforçaram a venda dos seus produtos por meios digitais. Vejamos alguns exemplos:

 

Não vivendo o corpo só de alimentos, são muitas as áreas de actividade em que é possível apostar no fabrico nacional. Seguem-se alguns exemplos:

 

Longe de mim fazer qualquer publicidade neste blog. Apenas estou focada no termo made in Portugal e estas marcas são representativas desse princípio. Muitas outras poderão ser encontrados na plataforma afabricaportuguesa, apenas acessível através do Instagram e que abrange diversas áreas

O mesmo tipo de pensamento deverá acompanhar os portugueses que este ano pretendem e podem fazer férias, dando preferência ao nosso país e ao seu enorme potencial. Dessa forma estaremos directamente a contribuir para a manutenção de muitos postos de trabalho. Não será essa uma boa premissa a ter em conta no momento de desfrutar as nossas férias?

 

(Apesar deste espírito em “apostar no que é nosso” já estar presente em muitos portugueses, relembrar e actuar em conformidade é o mínimo que todos podemos fazer)