sol de inverno

Com o sol de Inverno a brilhar no c√©u azul, durante a minha hora de almo√ßo sentei-me um pouco num dos bancos com vista para o rio do miradouro da Rocha do Conde de √ďbidos/Jardim 9 de Abril para usufruir dessa d√°diva celeste.

Muito devagarinho, esta lagartixa aproximou-se, parando a pouca dist√Ęncia dos meus p√©s. Foi t√£o simp√°tica, que me deixou tirar a m√°quina fotogr√°fica da mala e captar esta imagem.

Permaneceu nesta posição mais alguns segundos, desaparecendo depois num abrir e fechar de olhos.

Das duas uma: ou foi ali para apanhar um pouco de sol como eu…ou então queria mesmo ser fotografada!

Bom dia!

T√™m sempre uma magia muito especial aqueles momentos em que os raios de sol se individualizam ao passar entre nuvens. Num instante sou levada aos meus desenhos de inf√Ęncia e aos raios de sol que cuidadosamente desenhava a partir do seu centro.

Com eles sempre viajo pelos c√©us…. e com eles sempre regresso “escorregando” em alta velocidade ao longo do seu declive. Gosto desse imagin√°rio e desse vertiginoso “reencontro” com o astro-rei.

Hoje, ao nascer do dia, mais uma vez fui levada nessa viagem pelos céus. Estava bonito e apeteceu-me partilhar.

Apenas isso.ūü§ó

ao sol…

…que nos ilumina … aquece … alimenta … energiza … √© vida … paz … beleza … vibrar…

…e sempre a estrela que mais atrai o nosso estar!

Homenageio igualmente as sombras que os seus raios provocam na superf√≠cie irregular e estruturas deste planeta……frescura cada vez mais vital √† medida que os anos v√£o avan√ßando na nossa Vida! ūüėé

(3 de Maio, Dia Internacional do Sol)

 

 

 

 

 

 

fim de dia…

A segunda-feira √© aquele dia em que ainda estamos dessincronizados com a semana. Geralmente √© sentido como o mais longo e o que desejamos que passe mais depressa…especialmente quando estamos nas quatro d√©cadas de profiss√£o… j√° existe um cansa√ßo natural….e uma grande vontade que n√£o haja estes dias!

Hoje, de regresso a casa e j√° mais “liberta” da energia de segunda-feira, ao ver que o c√©u estava lindo fui at√© √† praia de Alg√©s a fim de apreciar a envolv√™ncia e obviamente, registar o momento.

Perante este espet√°culo, respirei fundo… bem fundo…e pensei: bendita segunda-feira por me proporcionares este momento e me permitires apaziguar o que sinto por ti!

Regressei a casa feliz e certa que amanhã, terça-feira, já será um bom dia!

38

Este primeiro dia de Setembro apareceu envolto num nevoeiro morno e agrad√°vel, daquele que o corpo n√£o rejeita. Por esse cinzento deambulei um pouco logo pela manh√£ na zona ribeirinha de Lisboa, levando comigo o sentir luminoso que vivi neste mesmo dia h√° 38 anos atr√°s, data em que tu nasceste e eu fui m√£e pela primeira vez.

Sempre que os filhos fazem anos, como m√£es voltamos atr√°s e vibramos entre recorda√ß√Ķes e um mar de emo√ß√Ķes. As minhas s√£o doces e fluidas, como foi todo o processo do teu nascimento e como t√™m sido estes 38 anos da nossa rela√ß√£o. Hoje tamb√©m tu √©s m√£e e eu uma feliz av√≥ do teu filho!

Entretanto a vida foi acontecendo neste planeta/universo. A Terra deu trinta e oito bel√≠ssimas voltas ao Sol‚Ķ mas em n√≥s a sensa√ß√£o √© de rapidez‚Ķ de um tempo fugaz‚Ķcomo aquele gesto simples e meio inconsciente de rasgar ou de riscar mais uma folha do calend√°rio que ‚Äúgere‚ÄĚ o tempo. N√£o deveria ser assim‚Ķ

Nestes 38 anos demos incontáveis passos como pessoas individuais. Tu no teu caminho e eu no meu. Atravessamos nevoeiros, céus azuis, dias soalheiros, certezas e incertezas, momentos de pura felicidade e alguns de tristeza. Mas ambas sabemos que é na atenção pelo outro, no estar presente, no aconchego, na troca e no jogo entre o dar e o receber que está tudo o que vale realmente a pena no desenrolar dos dias e da Vida.

Isso é a essência. Diria mesmo que é o Sol que sempre está presente mesmo nos dias de nevoeiro!

Muitos Parabéns minha filha, e continuação de uma boa viagem pela Vida!

(Dulce Delgado, 1 Setembro 2021)

de volta!

Em dia de regresso…

‚Ķcome√ßo por agradecer os muitos coment√°rios deixados no ultimo post desejando-me boas f√©rias e a que n√£o dei resposta. O compromisso que fiz de me afastar duas semanas deste espa√ßo foi literalmente cumprido, sendo certo que √© importante distanciarmo-nos um pouco do que nos ‚Äúprende‚ÄĚ pois sempre voltamos com um olhar mais atento e renovado.

Agradecer faz parte dos meus dias, muitas das vezes em silêncio e centrada em pequenos detalhes. Hoje porém, para além do agradecimento inicial, também em palavras escritas eu gostaria de…

…agradecer o facto de tudo ter corrido sem precalços nestas duas ultimas semanas;

…agradecer os belíssimos dias de praia e de sol que aqueceram o corpo e aquietaram a alma;

…agradecer ao vento pelos dias em que decidiu soprar sem exagero do quadrante sueste e assim aquecer a água do mar algarvio como tão bem sabe fazer;

…agradecer ao mar não ter exagerado nas ondas e permitido deliciosos banhos entre o tranquilo e o activo;

…agradecer ao céu o seu belíssimo azul…e às nuvens, por não terem aparecido durante toda a semana de praia…mas apenas após esse período!

‚Ķagradecer √† natureza alguns agrad√°veis passeios, assim como a possibilidade de observar e fotografar bastantes aves… apesar de Julho e Agosto serem os piores meses do ano para o fazer!

E por √ļltimo‚Ķ

‚Ķagradecer o facto de ter sa√ļde e condi√ß√Ķes para poder desfrutar destes per√≠odos fora de casa e das rotinas habituais… e em que os rel√≥gios, as not√≠cias e a pandemia quase foram esquecidos!

…e por ter a meu lado um companheiro em doce sintonia na partilha de todos estes agradáveis momentos!

(E j√° agora agrade√ßo o estarem a ler isto… e a me acompanharem novamente!ūüôā)

ver√£o

Olho ami√ļde para o c√©u‚Ķ.sol‚Ķ.lua‚Ķou estrelas que este meu olhar abarca‚Ķ.e ainda para este ch√£o que me recebe e onde me agarro por umas ra√≠zes invis√≠veis e penso:

Como pode esta “bola gigante” – e ainda por cima ligeiramente achatada e inclinada – que roda sobre si a 460 m/segundo (na zona do equador) e circula em volta do sol a uns incompreens√≠veis 30 Kms/segundo‚Ķ‚Ķn√£o perder o ‚Äútino‚ÄĚ e a orienta√ß√£o e, com uma precis√£o impressionante permitir calcular os fen√≥menos/ciclos da√≠ resultantes e que se repetem dia-a-dia, m√™s-a-m√™s, ano-a-ano…

…como o nascer e o p√īr-do-sol ‚Ķ os eclipses‚Ķ ou as esta√ß√Ķes do ano‚Ķ

Foi precisamente √†s 04h 32m da madrugada de hoje que come√ßou mais um Ver√£o neste hemisf√©rio norte onde est√£o as minhas virtuais ra√≠zes. Significa que esta metade do planeta ter√° o seu dia mais longo, que vai receber mais intensamente os raios solares e que naturalmente iremos adaptar os nossos dias e o nosso corpo a essa circunst√Ęncia. Assim como a nossa mente, que logo desliga um pouco da rotina e entra de certa forma em ‚Äútempo de f√©rias‚ÄĚ e de vontade de descanso.

Somos simultaneamente assistentes e participantes desta harmonia/sintonia do Universo, algo pouco consciencializado pela maioria de n√≥s na rotina dos dias, mas algo imenso e quase m√°gico que, s√≥ por si, deveria ser suficiente para que o termo ‚ÄĚrespeito‚ÄĚ estivesse na base de todas as nossas atitudes e decis√Ķes.

E neste respeito incluo o que deveremos ter com esta ‚Äúbola gigante‚ÄĚ em todas as vertentes com ela relacionadas….mas igualmente o respeito entre n√≥s, humanidade que a habita, porque realmente n√£o somos mais do que uma t√©nue ‚Äúpoeira‚ÄĚ espalhada sobre ela.

Essa é uma verdade que esquecemos vezes demais.

A todos, neste dia de solstício, desejo o melhor Verão (ou o melhor Inverno)!