instantes #64

Belém, Lisboa, Portugal, РJaneiro 2023

Bom fim-de-semana!ūü§ó

Advertisement

Bom dia!

T√™m sempre uma magia muito especial aqueles momentos em que os raios de sol se individualizam ao passar entre nuvens. Num instante sou levada aos meus desenhos de inf√Ęncia e aos raios de sol que cuidadosamente desenhava a partir do seu centro.

Com eles sempre viajo pelos c√©us…. e com eles sempre regresso “escorregando” em alta velocidade ao longo do seu declive. Gosto desse imagin√°rio e desse vertiginoso “reencontro” com o astro-rei.

Hoje, ao nascer do dia, mais uma vez fui levada nessa viagem pelos céus. Estava bonito e apeteceu-me partilhar.

Apenas isso.ūü§ó

kit com vida

Cada nascer de dia √© um momento √ļnico e cada instante das vinte e quatro horas que se lhe seguem uma surpresa em todo o seu potencial. A tend√™ncia geral √© a de cada instante ficar pela neutralidade/indiferen√ßa, mas s√£o livres de oscilar e de se manifestar entre extremos, sendo um desses pontos a trag√©dia.

Ou seja, as tragédias ocorrem quando menos se esperam. Mais ou menos naturais, podem alterar toda a nossa vida ou ser capazes de transformar a vida de milhares de pessoas, como é o caso dos recentes tremores de terra ocorridos na Turquia e na Síria. Desta vez foi ali, mas um dia pode ser connosco.

Todos sabemos que Portugal tem um historial de grandes terramotos e que vivemos numa regi√£o com predisposi√ß√£o para esses eventos. √Č por isso conveniente que estejamos minimamente preparados e que uma certa racionalidade se sobreponha ao medo e ao pavor que estas situa√ß√Ķes-surpresa sempre nos suscitam s√≥ em pensamento.

Para que estejamos mais conscientes dessa vulnerabilidade que nos envolve, basta seguir com atenção a actividade sísmica disponibilizada no site do IPMA, para percebermos a quantidade de pequenos sismos que diariamente acontecem, apesar de, no geral, não serem por nós sentidos. Há quem diga que esses pequenos abalos são benéficos pois permitem uma dispersão de energia. Seja assim ou não, estamos sempre sujeitos a que aconteça um evento de maior dimensão.

Gostaria por isso de partilhar um artigo publicado recentemente no site da DECO PROTESTE Рa mais importante organização portuguesa associada à defesa do consumidor Рonde de uma forma muito objectiva se enumera o que deve constar de um kit de sobrevivência/emergência e o que será essencial em caso de uma catástrofe natural.

Essa listagem/ dados pr√°ticos est√£o aqui e valem uma leitura atenta.

Pessoalmente ainda n√£o tenho uma mochila pronta para uma emerg√™ncia, mas muito em breve tratarei disso. Espero nunca precisar de a utilizar… mas, mais vale prevenir do que remediar. Al√©m disso as terr√≠veis imagens que nos t√™m chegado nos √ļltimos dias, creio que justificam toda a preven√ß√£o e objectividade.


Nesta esp√©cie de “roleta russa” que √© a nossa exist√™ncia…. aproveitemos mais conscientemente os instantes, os momentos, as circunst√Ęncias ou a companhia dos que nos s√£o queridos, assim como as belezas ou os detalhes que o olhar sente e o cora√ß√£o consente.

Aproveitemos esta Vida que nos anima e que generosamente se renova em cada instante… e em cada nascer de dia!

Que seja um bom e bem aproveitado fim-de-semana para todos!ūü§ó

 
Imagem inicial captada hoje ao nascer do dia e a imagem do kit retirada de
https://www.deco.proteste.pt/casa-energia/condominio/noticias/como-preparar-kit-sobrevivencia-fazer-caso-sismo

uma semana…

A imagem acima foi captada hoje ao nascer do sol, exactamente uma semana depois do conjunto de imagens que se segue e que, por diversos motivos, n√£o consegui publicar no dia em que foi captado (quarta-feira, 18 Janeiro).

Como a beleza não tem data vou hoje partilhá-las, uma vez que a zona ribeirinha de Belém e os edifícios/monumentos que a pontuam são sempre um cativante lugar e um iman para o meu olhar.

Entre estes dois momentos…

…passaram precisamente sete dias;

…a terra deu sete voltas no seu eixo imaginário;

…nos relógios passaram 168 horas o que corresponde a 10 080 minutos;

…os dias cresceram alguns minutos, pois na foto de hoje o sol já nasceu nitidamente mais à esquerda do Cristo-Rei do que na imagem similar obtida no dia 18;

… as nuvens e a chuva desapareceram para dar lugar a dias muito frios e de c√©u limpo;

‚Ķcentenas de avi√Ķes atravessaram este c√©u antes de aterrar no aeroporto de Lisboa;

‚Ķimensas pessoas passaram por aqui, simplesmente passeando, fazendo jogging ou andando de bicicleta/trotinete…

…e as aves que por aqui deambulam diariamente, como é o caso das gaivotas, guinchos, corvos marinhos, gansos do Egipto, pombos, melros, etc, continuaram as suas rotinas de sobrevivência.

Visto desta forma, sete dias parecem muito tempo…mas guardo a sensação que esses dias se esfumaram e quase não dei pela sua passagem, apesar de ser uma pessoa relativamente atenta.

Objectivamente esse tempo passou…passou mesmo…

…mas creio que ele correu mais rápido do que a minha Vida!

hoje…

…ap√≥s acordar e ainda muito estremunhada, deparei-me com esta imagem quando cheguei √† janela. E pensei: que belo presente para come√ßar o dia!

Fui buscar a m√°quina fotogr√°fica e tirei estas fotos apreciando calmamente o momento. E posteriormente pensei: porque n√£o partilhar este presente?

Um bom dia para todos!