a arte do mar

 

IMG_6504 abcd

 

Como um gesto
de mão
e de mar,
as ondas desenham
nuvens
montes
vales
e efémeras paisagens
sem par.

Onda vem…
onda vai…
e outra a abraça no seu recuar!

Cada onda tem um traçar,
desenhos que o meu olhar
aprecia
mas que os corpos,
indiferentes,
pisam sem reparar…

Como é bela a arte do mar!

 

(Dulce Delgado, Agosto 2019)

 

 

 

Advertisements

sem descanso

 

IMG_6214ab

 

Uma
duas
três
dezenas
centenas
talvez milhares
de seres
e olhares,
de olás
bons dias
boas tardes
ou até já(s)!

Elas vão
e vêm,
rápidas
orientadas
concentradas
e carregadas…

…de tesouros,
talvez de clamores…
talvez de desamores…
talvez apenas do cansaço
de uma vida
dura
sem tempo
nem paragens
e de infinitas viagens.

Será…

…o efémero encontro
no instante de um cruzar
um abraço de amizade?
De afecto e solidariedade?
Cumplicidade?
Felicidade?

Ou apenas um pedido de ajuda…

É a vida
de uma
duas
três
dezenas
centenas
milhares
de estranhas
e incríveis formigas!

 

(Dulce Delgado, Agosto 2019 )

 

 

 

 

nuvem viajante…

 

IMG_1741

 

Olhei,
e vi um pássaro gigante no céu da minha janela…

Seria uma nuvem-pássaro…
um pássaro-nuvem…
ou apenas
esta voadora imaginação?

Talvez fosse uma nuvem distraída que se perdera de outras
e veloz,
as tentasse apanhar…

…ou uma nuvem exploradora da liberdade
deambulando pela vida
pelo mundo, pelo vento
e pelo ar!
Talvez uma nuvem a viajar!

Amanhã,

também eu irei “voar” pela liberdade das férias
respirando paisagens,
olhares
e lugares
desta terra lusitana.

O corpo e a mente
precisam muito de descansar,
e o blog,
discretamente
ficará a aguardar!

 

Isto significa que nas próximas duas semanas não irei publicar nem vos irei acompanhar! Até breve!

 

(Dulce Delgado, Julho 2019)

 

 

 

o cata-vento

 

IMG_5018

 

 

 

 

 

 

 

 

Irrequieto,
o vento
fustiga o cata-vento,
que roda loucamente
sem parar.

Pára!
Pede o galo
do alto do cata-vento,
estou tonto,
cansado
sem norte
e farto desta sorte!

Porquê?
pergunta o vento,
num rodopio
sonoro e menos turbulento…

Porque…
não canto
não voo
não acordo ninguém
não tenho par
nem um quintal onde reinar!
E estou preso
nesta alma de metal,
fria e intemporal!

Mais calmo,
o vento soprou
com ternura
e ecoou…

Puro engano
meu amigo!

Tu és norte,
orientação,
e o corpo que me dá voz.
És o vento que o olhar mais simples
compreende,
linguagem universal
clara e sem igual.

Não voas
é certo,
mas desse lugar
podes ver mais mundo
e horizonte que muitos
a voar.

O teu “quintal” é vasto
aprecia-o com alegria.
E voa,
quando quiseres
e disso precisares.

Basta sentires
o meu afagar em teu corpo
com emoção,
ou a minha loucura
sem razão,
e  terás penas
e asas
e voos de imaginação!

Se este é o teu lugar
e destino,
não vires as costas
ao sopro que te dá vida,
sente-o simplesmente
guiando a emoção
para junto do coração!

 

(Dulce Delgado, Junho 2019)

 

 

pensamento ao vento

IMG_3761a

 

O vento
levou-me um pensamento…

…que logo procurei
no instante de um olhar.

Um pedaço
voava no céu,
outro nadava no mar.

Tentei resgatá-los
no tempo de um respirar,
na esperança de os unir
e o pensamento voltar.

Impossível.

Com o original partido
e no éter meio perdido…
…logo outro me veio habitar!

 

(Dulce Delgado…no Dia Mundial do Vento!)

 

 

dúvida

Capturar

Quando a dúvida
se instala…
…o sim
…o não
…e o talvez
invadem o pensamento
sem piedade
ou sensatez.

Confusos
vagueiam no tempo
e no labirinto da mente,
espaço obscuro
e invisível,
mas sempre,
sempre transponível.

Em breve,
num profundo respirar,
a mente irá encontrar
…uma luz
…um lugar
…ou um caminho
passível de enveredar,
de seguir…

…e então decidir
com qual quer ficar!

 

(Dulce Delgado, Junho 2019)