arriba fóssil

Atraí-me imenso tudo o que se relaciona com a geologia do nosso planeta e com os efeitos, formas e texturas que os elementos naturais lhe provocam através da erosão.

O território português é pequeno, mas apresenta uma grande diversidade de ambientes naturais, uns convertidos em parques naturais, outros em paisagens protegidas e muitos sem qualquer classificação mas igualmente interessantes.

A Área Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica foi criada em 1984 e, entre as suas várias componentes, tem uma arriba paralela à zona costeira constituída por estratos de rochas sedimentares com cerca de 10 milhões de anos (do período Pliocénico). Uma arriba fóssil é uma zona costeira alta, mas “morta”, ou seja, onde o mar já não chega e não lhe provoca erosão. Contudo, é afectada pelas chuvas, vento, temperatura, etc, que a vai desgastando e dando origem a formas muito peculiares.

Na costa portuguesa existem outros locais com arribas fósseis, mas creio que pelas características e antiguidade, esta é a única integrada numa área protegida.

Um percurso de alguns quilómetros ao longo do areal que separa o mar desta arriba permitiu-nos visualizar muitas formas de grande beleza e expressividade, imagens que hoje gostaria de partilhar.

A deposição de sedimentos diferenciados deu origem a estratos com várias colorações e sobretudo com diversos graus de resistência à erosão. Este facto levou ao aparecimento de formações não uniformes, seja em volumetria seja em textura.

Por tudo isso, esta paisagem é propícia a aliar a imaginação com o olhar e a vislumbrar o que a criatividade quiser. Nesta foto que se segue, por exemplo, facilmente encontro um conjunto de silenciosos seres numa marcha parada no tempo…

Uma aproximação à arriba através da máquina fotográfica (era difícil chegar perto devido ao terreno acidentado e à vegetação), permitiu perceber melhor a textura e os elementos constituintes de alguns desses estratos.

A par deste olhar mais terreno, outro bem mais aéreo ia acompanhando o voo das gaivotas sobre o mar…ou, na imensidão do azul do céu, estas “nuvens-ave” gigantes que livremente se deslocavam na tranquilidade do momento.

Num plano mais intermédio – entre esta terra que nos sustenta e o céu que nos aconchega – aproveitamos com prazer mais este momento de contacto com a natureza e a boa energia de um belíssimo dia de Primavera.

Depois de muitos quilómetros percorridos em areia, sentíamos bem o cansaço nas pernas. Mas estávamos felizes!

Boa semana!

29 thoughts on “arriba fóssil

  1. Que fotos tão bonitas de uma parte da Costa da Caparica onde nunca estive, e que me faz lembrar um dos locais de que mais gosto da Costa Alentejana, a Praia da Galé das Fontainhas. E a Dulce está mesmo com um ar feliz!! 😊 Obrigada pela partilha, fica na minha lista para uma visita futura. Boa semana Dulce 🌻

    Liked by 1 person

    1. Sim, quer a praia da Galé na costa alentejana quer a da Falésia na costa algarvia (e provavelmente outras que eu não conheço), têm muitas semelhanças com esta zona, mas a erosão sempre faz “esculturas” em estilos diferentes. E aqui parece-me que são bastante mais elaboradas em detalhes, para além de estarem incluídas numa área protegida.
      Mas todas oferecem paisagens lindíssimas para usufruir tranquilamente à beira-mar!
      Pela minha parte… sempre fico feliz quando ando por aí a passear!!😊
      Obrigada Antónia e um dia agosto!

      Liked by 1 person

    1. Adoro…e gosto muito de estrelas do mar!
      Eu não sou mada de me mostrar, mas pontualmente é importante personalizar visualmente o que escrevo. E soube-me tão bem este passeio bem arejado em tempo de máscaras e confinamentos…que me apeteceu mostrar isso!
      Bjs e obrigada.

      Like

  2. Que belas fotos, parabéns. Estes cenários levaram-me a um passado não muito distante… dias de sol e calor, dias de praia e relax na bonita zona de Melides… dias de caminhadas longas pelo areal, daquelas que deixam as pernas cansadas.

    Liked by 1 person

    1. A costa alentejana, a costa da Caparica ou outros grandes areais deste nosso belo país são realmente fabulosos lugares para passear e relaxar. E nesta altura do ano em que as férias já estão bem próximas, são ainda muito mais apelativos. Apetece ir…
      Obrigada Nelson e boas caminhadas aí pelo norte!

      Liked by 1 person

    1. Ainda bem que apreciou esta faceta criativa da nossa mãe-natureza!
      Sobre esta Dulce…ela é bastante discreta (ou o blog não teria o nome que tem) mas de vez em quando também é importante “dar a cara”…
      Obrigada Silvana e um dia a gosto!

      Liked by 1 person

  3. Fossil cliffs are interesting remnants of the past where time is frozen, preserved as if in amber. I’ve always wanted to go see one, but I live in Canada and the nearest fossil sites are all in the badlands of Alberta. Alberta is one province away from where I live but the provinces are huge, and that’s a far distance. Still, I might end up going to see it one day.

    — Catxman

    http://www.catxman.wordpress.com

    Liked by 1 person

    1. Certainly, life will give you the possibility of seeing a cliff of this kind where, as you said, time is frozen and preserved. They are really beautiful!
      Thank you so much.

      Like

  4. Há lugares e fenómenos em Portugal de inegável beleza e que só os bloguers me deram a conhecer. Este é um deles. Obrigada, Dulce.
    As arribas que lembram pessoas, não sei porquê fizeram-me lembrar o poema que reza, “quem pôs assim os homens frente a frente…” e é relativo a um quadro de autor desconhecido, onde figura o infante D. Henrique e mais gente. Não recordo o nome do autor do poema e nem sequer sei se o verso está conforme, mas foi o que me ocorreu. Talvez marchem também para o desconhecido, como acontecia nos descobrimentos; ou sejam somente aqueles que, cinzelados pelo tempo, reaparecem em saudade viva e aguardam sem quebra o regresso dos embarcados.

    Liked by 1 person

    1. Com este comentário a Bea concretizou de certa forma o que eu escrevi, ou seja, aliou o olhar à imaginação e nesta imagens “viu” uma história, algo que eu senti imenso in loco.
      As formas daquelas arribas são realmente fabulosas e levam-nos por aí. Basta apenas um pouco de criatividade.
      Muito obrigada e desejo um dia a gosto!

      Like

    1. Sim, as semelhanças são muitas entre ambas as zonas, sendo que estas me parecem ser um pouco mais “esculpidas” pela erosão. Mas ambos são belíssimos troços da nossa costa para passear e apreciar.
      Obrigada Luisa e desejo um bom fim-de-semana!

      Like

  5. Que espectáculo! E eu, como apaixonado também por Geologia desde os meus tempos de escola, adorei ler/ver este post.
    Ver formações rochosas, com os mais diversos formatos, que surgiram depois de milhares de milhões de anos de transformações lentas e delicadas, é incrível.

    A Islândia seria também um sítio que iria adorar!

    Muito obrigado pela partilha, Dulce.

    Boas férias!

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s