solo

A leitura de uma qualquer enciclopédia diz muito sobre este termo, designadamente sobre a sua origem, composição, tipos, função, etc., sendo certo que cada um de nós e especialmente cada área de actividade olhará para ele de forma diferente. Provavelmente um agricultor não olha para o solo de mesma forma que um biólogo, e este último não o verá pelo mesmo ângulo de um engenheiro civil ou de um arquitecto.

Todos estão certos dentro das suas lógicas, pois é no solo que muito acontece. Aí se constroem as casas que habitamos, criam-se espécies animais e vegetais (muitas das quais são a base da nossa alimentação), nascem fontes ou correm linhas de água que são vitais para todos. Além disso é aquele lugar em que a natureza exprime muita da sua beleza e exuberância.

O solo resultou da passagem do tempo e da actividade dos elementos sobre a “rocha- mãe”, processo erosivo que deu origem a estratos diferentes, de maior mobilidade, porosidade, mas também férteis e ricos em nutrientes…uma camada que, por ter essas características, é leito de sementes e raízes, abrigo de espécies e um polo de vida que gera vida. É seguramente a componente fértil da terra, qual útero superficial que recebe com alegria a água que a penetra assim como o abraço do sol ou o do ar que tudo envolve.

Se divagarmos um pouco podemos ver o solo como a parte “humana” do planeta… como aquela pele ou camada superficial mais orgânica e moldável que se adaptou às deformações, reviravoltas e convulsões da crosta terrestre.

Com essa versatilidade, ele é suporte, sobrevivência, palco… e nele a Vida acontece. Basta vermos que é directamente sobre ele que nasce a maioria dos animais ou que os ovos de muitas espécies são incubados.

Já para muitos de nós, talvez pelo facilitismo que nos habita ignoramos amiúde o seu poder, energia e generosidade. É algo adquirido que está ali, simplesmente, e que mais facilmente somos capazes de explorar/deteriorar do que o apreciar ou proteger. E não deveria ser assim.

Amanhã será o Dia Mundial do Solo, um bom momento para reflectir sobre este precioso recurso terrestre.

6 thoughts on “solo

  1. O solo é para além de parte fundamental da natureza, um dos pilares da nossa existência. Se não o cuidarmos melhor, e se continuarmos a explorar de forma desenfreada todas as suas potencialidades, um dia será tarde de mais. Para além de belas imagens (a das ovelhas é uma delicia), a sensibilidade dos seus textos levam-me muitas vezes para novos lugares, ou melhor, dão-me novas perspectivas de “lugares” que também são meus, são de todos, e este é um desses casos. 😊Bom início de semana Dulce!

    Like

    1. Obrigada, gostei da apreciação e do reforço que a Antónia faz relativamente à importância deste tipo de posts. Creio que em determinadas áreas é necessário ir reforçando e alertando para a fragilidade que as mesmas representam na vida de todos nós e deste planeta.
      Por isso um comentário neste tipo de posts (para muitos certamente “chato” porque não traz nada de novo nem são criativos), é especialmente bem vindo.
      Obrigada novamente e desejo uma boa semana!🌼

      Liked by 1 person

  2. Acredite que me leva muitas vezes a refletir sobre algumas temáticas, mesmo do quotidiano, mas que vão passando “ao lado” na correria dos dias. E trata delas com tanta sensibilidade e bom gosto que acho impossível alguém não as considerar interessantes!😊😉

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s